Uma data para não perder Pagu

Há 52 anos o mundo perdeu uma de suas maiores percursoras das lutas sociais e idealizadora da disseminação da cultura. Patrícia Galvão partiu no dia 12 de dezembro de 1962, deixando um legado imenso de ideias, histórias, arte e muita literatura e teatro.

Com mais de 20 anos de pesquisa da biógrafa de Pagu, Lúcia Teixeira, o Centro de Estudos Pagu Unisanta mantém um acervo com esse legado, contendo mais de 3 mil documentos inéditos e digitalizados, fruto dessa investigação.

Além de acondicionar e manter todo esse material à disposição de estudantes e pesquisadores, o Centro trabalha diariamente na divulgação e disseminação de toda vida e obra da musa do modernismo.

Assistam a última reportagem sobre todo esse trabalho idealizado por Lúcia, em entrevista que deu ao canal a cabo, Arte 1:


Deixe um comentário

Você precisa logar para comentar este post.